Como podem as alterações climáticas afetar o mercado imobiliário

Madrid under snow in 2021
Partilha

Inundações graves em toda a Europa, que causaram danos em 10 países diferentes, incluindo a Alemanha e o Reino Unido em 2021, incêndios florestais cada vez mais comuns em Espanha, Portugal e França, as piores inundações em mais de 100 anos no norte de Itália em 2023. Estes cenários estão a tornar-se cada vez mais comuns em todo o mundo, ocorrendo nos EUA, Canadá, Austrália, Brasil e também na Europa.

Mas, para além da tragédia óbvia para a população, estas consequências das alterações climáticas também têm repercussões nos mais diversos intervenientes do mercado imobiliário – compradores, senhorios, inquilinos, vendedores, seguradoras, bancos, investidores imobiliários e, claro, agentes imobiliários.

Descubra quais são as principais consequências que se podem esperar e como adaptar o seu trabalho para se manter atualizado neste cenário.

As alterações climáticas e a substituição das zonas desejáveis para viver ou comprar

Zonas soalheiras com bom tempo durante todo o ano, que atraem compradores estrangeiros vindos de países mais frios: todos os agentes imobiliários conseguem citar algumas delas. Infelizmente, estes locais podem atingir temperaturas desconfortáveis num futuro próximo, durante os meses mais quentes, enfrentar escassez de água ou sofrer incêndios florestais, por exemplo.

Naturalmente, essas condições podem alterar os preços dos imóveis, seja no sentido de aumentar ou diminuir, e isso já é uma realidade. No inquérito Insights Into Real Estate Investment Sustainability Survey (IRIS), realizado anualmente pela empresa de riscos climáticos Evora Global, quase metade dos investidores imobiliários já viram condições meteorológicas extremas afetarem os seus portfólios.

A queda do valor dos imóveis, dos rendimentos e das taxas de ocupação, bem como o aumento dos custos dos seguros (como aconteceu em Espanha após os incêndios florestais de 2022), são alguns dos maiores efeitos relatados das alterações climáticas nos portfólios imobiliários.

Estudos realizados em diferentes zonas dos EUA e citados no relatório Climate Risk & Commercial Property Values, elaborado por investigadores do Brookfield Centre in Real Estate & Infrastructure (Canadá) e da Universidade de Reading (Reino Unido), mostram o mesmo padrão. Afirmam que as áreas atingidas ou próximas de incêndios florestais registaram uma queda nos preços dos imóveis de 5 a 13%.

O mesmo se aplica à Europa: um relatório do Banco Central Europeu sobre os riscos climáticos afirma que o mercado imobiliário pode sofrer uma descida de preços de 4% a uns espantosos 45%, dependendo do grau de exposição às inundações. Isto pode ser explicado pelo facto de, historicamente, as inundações fluviais serem um risco relevante em todo o continente e algo que só tende a aumentar devido ao aumento das precipitações provocado pelo aquecimento global.

Assim, por um lado, as propriedades que os seus clientes estão a pensar comprar podem estar em risco de diminuir de valor no futuro devido ao aquecimento global e às suas consequências. Por outro lado, as áreas em que os governos estão empenhados em evitar que essas alterações perturbem a população estão a atrair mais atenção dos investidores imobiliários e, por sua vez, a tornar-se mais valiosas.

Inundações na Alemanha em 2021
As inundações na Europa afetaram países como o Reino Unido, a Alemanha, a Itália, a Bélgica e a Áustria. Foto de Dylan Leagh no Unsplash

O impacto do clima extremo nas condições de vida

Um equívoco comum quando se fala de aquecimento global é a ideia de que os países apenas registariam um aumento do calor. Embora as alterações climáticas estejam certamente a provocar um aumento das temperaturas em todo o mundo, também geram Invernos rigorosos e até influenciam a ocorrência de tempestades de neve intensas.

Independentemente das condições meteorológicas que se preparam para enfrentar, os compradores e inquilinos de casas já começam a procurar imóveis que lhes permitam encontrar conforto térmico sem terem de recorrer constantemente a ventoinhas, ar condicionado ou aquecedores.

Para os agentes imobiliários, isto significa que os seus clientes vão procurar cada vez mais:

  • imóveis mais antigos que passaram por renovações recentes e profundas para se tornarem mais confortáveis termicamente;
  • imóveis mais recentes em edifícios energeticamente eficientes
  • imóveis com classes energéticas mais elevadas nos seus certificados de desempenho energético.

Certificado de desempenho energético: o que é e porque é importante para vender e arrendar

Independentemente de estar a representar o comprador, o inquilino, o vendedor ou o senhorio, terá de compreender o que o mercado procura e o que proporciona em termos de conforto térmico.

Dificuldades na compra ou arrendamento de imóveis nas zonas afetadas

Atualmente, os compradores de imóveis para habitação própria recorrem muito frequentemente ao crédito à habitação para comprar o seu imóvel, mas até este processo natural pode estar em risco de mudar. 

É provável que seja mais difícil obter aprovação de crédito à habitação em zonas que, devido às alterações climáticas, enfrentam incêndios florestais, inundações ou outros fenómenos causados por condições meteorológicas extremas. Porquê? Porque o risco que o banco está a assumir torna-se mais elevado, uma vez que as apólices de seguro raramente cobrem catástrofes naturais.

E, como alerta a Forbes, mesmo que os investidores imobiliários consigam comprar sem recurso a crédito, é provável que os inquilinos não estejam dispostos a viver em locais com tendências crescentes para esses eventos.

Madrid sob a neve em 2021.
Madrid sob a neve em 2021. Photo by JavyGo on Unsplash

O que muda para o agente imobiliário?

No que diz respeito à alteração da atratividade de determinadas zonas devido a problemas climáticos, os agentes imobiliários terão de estar atentos aos locais que estão a ser afetados por estes fenómenos. 

Os investidores imobiliários, por exemplo, já estão a verificar estes riscos quando realizam o processo de aquisição do seu portfólio, como afirmam a consultora de gestão global Mckinsey & Company e a consultora imobiliária global Savills. Ou seja, qualquer agente que procure imóveis para eles também terá de acompanhar estas tendências.

Acompanhe as tendências do mercado imobiliário com a CASAFARI

Conforto térmico é uma expressão que tem de fazer parte do seu vocabulário a partir de agora. Há três comportamentos diferentes a adotar em relação a este tema:

  • Ao procurar no mercado um imóvel de investimento para um cliente, não se esqueça de verificar se este possui certificados de desempenho energético;
  • Quando um cliente pretende arrendar o seu imóvel, aconselhe-o a proporcionar este tipo de conforto aos inquilinos, como medida para manter o imóvel sempre ocupado, reduzir os custos dos serviços públicos e valorizar o imóvel;
  • Por fim, certifique-se de que educa os seus clientes sobre a necessidade de ter um certificado de desempenho energético com uma classe elevada.

Agora, vamos falar sobre o que acontece quando o seu cliente se depara com a tentativa de comprar um imóvel em áreas que estão a ser e continuarão a ser marcadas por fenómenos naturais. Se se tratar de uma propriedade para investimento, antes de assinar o contrato, é importante informar o cliente de que o arrendamento pode tornar-se cada vez mais difícil devido às alterações climáticas e aos seus efeitos.

Além disso, acompanhe de perto as políticas de crédito à habitação na sua zona de atividade, para saber até que ponto elas podem afetar os seus negócios.

Sim, adivinhou: a informação será fundamental para adaptar o seu trabalho às consequências das alterações climáticas no imobiliário. Mas não se preocupe, pode contar com a CASAFARI agora e em qualquer momento futuro para o manter atualizado e prestar um melhor serviço aos seus clientes!

Monitorizamos, diariamente, +310M anúncios de imóveis em toda a Europa.

Seja o primeiro a saber das alterações de preço, novos anúncios e imóveis vendidos.

Imagem da costa de Albufeira

Guia da Zona em Destaque: Albufeira

De acordo com relatórios recentes, o investimento britânico no setor imobiliário do Algarve está em alta, mesmo apesar do Brexit, o que significa que o sul de

Houses near the ocean in Algarve, Portugal. Photo from Humphrey Muleba

Casas de luxo em Portugal: o mercado no Q1 2023

A CASAFARI proporciona uma visão de 360º, limpa e organizada, de todo o mercado imobiliário e permite-lhe mergulhar profundamente em segmentos específicos para melhor compreender as tendências