Entrevista com Massimo Forte: O que está a acontecer no mercado imobiliário

Massimo Forte, profissional do mercado imobiliário
Share

Com 20 anos de experiência no Mercado Imobiliário, Massimo Forte conseguiu um currículo impressionante. Embora viva em Lisboa e trabalhe em toda a Península Ibérica, é um italiano com uma grande paixão pelo mercado imobiliário. É consultor, formador, autor, orador e inspirador, entre outras coisas.

CASAFARI teve a oportunidade de o entrevistar e discutir o Mercado Imobiliário em Portugal, os seus maiores desafios como consultor imobiliário e o que pensa sobre a tecnologia CASAFARI e as suas características.

Como é que a tecnologia da CASAFARI muda a forma como o mercado Imobiliário funciona actualmente?

A tecnologia CASAFARI está a dar e ainda tem muito para dar ao Mercado Imobiliário em termos de ser capaz de entregar uma ferramenta que instantaneamente é capaz de digitalizar, analisar e agregar a informação massiva de propriedades disponíveis online dando-lhe informação fiável e em tempo real sobre as mesmas:

  • Quantas e quais as propriedades realmente disponíveis para o mercado dos compradores (analisando listagens repetidas);
  • Por quem estão estas listagens a ser promovidas e como (listagem aberta / exclusiva);
  • Desde quando (tempo no mercado);
  • A gama de preços diferentes.

Isto traz uma vantagem competitiva real para os utilizadores desta tecnologia. Uma ferramenta ” indispensável ” para qualquer agência imobiliária ou agente que possa utilizar os relatórios produzidos para melhorar a precisão dos conhecimentos, e como resultado, a qualidade do serviço oferecido aos compradores ou vendedores.

Num futuro próximo, a tecnologia CASAFARI pode realmente representar uma verdadeira mudança na forma como os agentes imobiliários trabalham em conjunto, acelerando e melhorando a informação que é fundamental para garantir resultados.

Na sua opinião, qual é a melhor característica da CASAFARI?

Informação democrática, precisa e instantânea sobre o mercado que poupa muitas horas de pesquisa no terreno ou online, tentando ordenar as ofertas disponíveis. Além disso, o facto de ser um fornecedor neutro de informação que não está ligado a nenhuma marca imobiliária é importante para manter a fiabilidade dos dados fornecidos.

Como pensa que o Mercado Imobiliário em Portugal se irá desenvolver nos próximos anos?

O mercado português está mais uma vez próximo de um ciclo de mudança. A diferença é que estes ciclos estão a ficar mais curtos devido às rápidas mudanças que ocorrem em termos de necessidades de procura, tecnologia e disponibilidade de informação.

Penso que em 2 anos podemos esperar o início de um novo ciclo que provavelmente tende a um ajustamento que pode levar a uma estagnação ou retracção, não só em termos de preço, mas também em termos de número de transacções.

Mais uma vez, uma oportunidade para os corretores e agentes imobiliários repensarem os seus negócios sobre como podem oferecer um serviço relevante e valioso a um alvo menos democrático. A adaptação e incorporação de tecnologia deveria provavelmente estar no topo da lista. Afinal, o serviço imobiliário tende a ser uma necessidade no futuro, mas a forma como os profissionais o devem prestar, é a verdadeira mudança que precisa de acontecer.

Quais acha que serão os maiores desafios para o futuro mercado imobiliário em Portugal?

Como referido na pergunta anterior, capacidade de adaptação a diferentes necessidades e capacidade de incorporar e utilizar tecnologia para realmente trazer mudanças maciças e relevantes no serviço prestado. Esta necessidade de mudança está a ser acelerada pela entrada de novos intervenientes no mercado que têm a tecnologia como núcleo da sua proposta, oferecendo um serviço diferente, a um mercado maior com taxas mais baixas.

É igualmente importante repensar o que os corretores e agentes imobiliários podem oferecer e a quem é chave, benchmark de negócios mais maduros na utilização da tecnologia e da rede. A especialização da oferta é também uma tendência.

De que forma e em que medida é que os compradores internacionais influenciam o mercado?

Na minha opinião, o comprador internacional é volátil. Se observarmos os pequenos grupos de compradores que lideram o investimento estrangeiro em Portugal, temos as seguintes nacionalidades por data: 2013 angolano; 2014 chinês; 2015/6 francês; 2017/8 brasileiro, todos com necessidades diferentes e procurando produtos diferentes.

É por isso que acredito que a primeira característica que o mercado imobiliário deve vender é o país, neste caso, Portugal, e é também por isso que os concorrentes directos são os outros países que têm ofertas semelhantes em termos de boas oportunidades de investimento e modo de vida.

Em geral, os investidores ou compradores imobiliários procuram: vantagens fiscais; VISAS; rendimento e segurança.

Quais têm sido alguns dos seus maiores desafios no seu trabalho como consultor imobiliário?

Juntamente com os treinamentos, o meu primeiro livro foi um dos primeiros desafios reais! A minha missão é dar todo o know-how necessário do mercado imobiliário (especialmente das pessoas que nele trabalham) que possa ser relevante e útil para proporcionar os melhores resultados aos seus clientes de uma forma sustentável.

O meu objectivo é melhorar o desempenho através da técnica, inteligência emocional e pensamento ético para melhorar as competências dos profissionais que trabalham e vivem para este mercado, este é o meu maior desafio de todos.

Recomendaria CASAFARI às pessoas? E se sim, a quem e porquê?

Claro que, neste momento, já recomendei a alguns profissionais do ramo e faço-o constantemente de forma inconsciente em todos os meus treinamentos! Recomendo a CASAFARI a vendedores e agentes compradores, tem uma ferramenta fundamental para poupar tempo e dinheiro, mas especialmente para fazer a diferença e prestar um serviço de ponta e preciso, como expliquei anteriormente.

Os corretores podem ter uma informação real e assertiva do mercado e utilizar melhor os seus ganhos no terreno. Também é uma excelente forma de saber quem está no mercado e com que produto utilizar esta informação como vantagem competitiva no recrutamento de novos talentos para a sua equipa.

Daily, we track 180.000+ property changes in Spain, Portugal, France, etc.

Be the first one to know about price changes, new and sold listings.
real estate investors

Proptech para o Investidor Imobiliário

Há alguns anos atrás, antes de ser criado o conceito de Proptech, Marc decidiu investir em propriedade espanhola. Um homem de negócios por natureza, abordou este esforço

Barco numa praia de Sesimbra, região central de Portugal

Guia da Zona em Destaque: Sesimbra

As festividades carnavalescas em Portugal começam no início de março e uma das celebrações mais conhecidas e populares é, seguramente, a de Sesimbra. Nos primeiros dias do